Estimativa é de que 1,5 milhão de litros de água tenha sido desviado; caso foi observado em São Bernardo no dia 20

Vanessa de Oliveira do Diário do Grande ABC
26/07/2016 | 07:07

Um comerciante de 52 anos, morador do bairro Nova Petrópolis, em São Bernardo, foi preso em flagrante por furto qualificado de água. Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a estimativa é de que 1,5 milhão de litros do recurso tenha sido desviado. Com esse volume, é possível atender cerca de 470 pessoas durante um mês.

O caso ocorreu dia 20 e foi registrado no 1º DP (Centro) da cidade. Por se tratar de crime com previsão de pena máxima de prisão superior a quatro anos, não coube pagamento de fiança. “Ele (comerciante) danificou as instalações e ficou comprovado que tinha intenção de fraudar”, falou o superintendente de auditoria da Sabesp, Marcelo Fridori.

A variação de consumo mensal do comerciante despertou o alerta da Sabesp. Técnicos da companhia acionaram a Polícia Civil, que participava da Operação Cavalo de Aço, para acompanhar vistoria no imóvel. Teste de praxe, que consiste em em desligar e retirar o registro central de água, foi feito e a equipe verificou que, mesmo com o registro fechado, continuava entrando água pela tubulação.

Os técnicos localizaram cano que estava interligado à tubulação de água oficial que vinha da rua. Os funcionários da Sabesp quebraram o piso do corredor da residência e foi constatado, pelos técnicos e pela perícia, que o cano que vinha do subsolo estava ligado à rede clandestinamente.

Dados mais recentes da empresa mostram que, de janeiro a abril deste ano, 168 fraudes foram detectadas nas quatro cidades da região onde a Sabesp opera. A maior parte delas ocorreu justamente em São Bernardo, com 142 registros. No período, nesses municípios, foram desviados 35 milhões de litros de água, suficientes para abastecer aproximadamente, 11 mil pessoas durante um mês.

Na comparação entre o primeiro quadrimestre de 2014 e 2016, o furto de água teve aumento de 10,52% nas quatro cidades. Na avaliação do mesmo período de 2015 e deste ano, houve queda de 19,61%. A maior parte dos casos é de violação nos hidrômetros.

Já na Região Metropolitana, o número de irregularidades identificadas de janeiro a maio de 2016 subiu 34% na comparação com o mesmo período de 2015. O volume de água desviado foi de 1,4 bilhão de litros, suficiente para abastecer cidade do porte de Ferraz de Vasconcelos, com 182 mil habitantes durante um mês. As fraudes ocasionaram prejuízo estimado em R$ 13,48 milhões.

O superintendente de auditoria da Sabesp ressaltou que o aumento nas detecções das fraudes é atribuído à maior participação da população em denunciar as situações. “Apesar da crise hídrica ter passado, ela trouxe lição. A população aprendeu a combater o desperdício e fica indignada quando ele ocorre, então, houve aumento nas denúncias”, salientou.

A Sabesp trabalha com equipes de caça-fraude, que acompanham o consumo e vistoriam imóveis. Além disso, recebe queixas de furto de água através da central de atendimento (195) ou Disque-Denúncia (181). A chamada é gratuita e o denunciante não precisa se identificar.

Extraído de https://www.dgabc.com.br/Noticia/1994948/comerciante-e-preso-por-furto-qualificado-de-agua